sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Ensino Integral conquista brasileiros



A jornada do ensino integral estabelece que alunos frequentem as escolas com o mínimo de 7 horas diárias ou 35 horas semanais, essa é a realidade de 49 mil alunos que estudam nas instituições integrais públicas do Brasil. Segundo uma pesquisa realizada pelo Datafolha, nove em cada dez brasileiros, considera relevante o ensino em período integral para o aprendizado dos estudantes. 

Em Petrolina, educandários como Clementino Coelho e Osa Santana, funcionam de segunda a sexta, das 7h30 às 17h, juntas atende mais de mil estudantes. Fátima Rodrigues é mãe de Juliana, que cursa o 2º ano do ensino médio numa escola integral e esclarece por que optou por essa modalidade de ensino, “acredito que por ela estudar o dia inteiro, os caminhos para oportunidades futuras vão ser maiores”, avalia.

Aulas em diversos laboratórios, como o de informática, matemática, física e biologia compõe a grade curricular do turno vespertino da escola Osa Santana. A gestora da instituição, Cleoneide Lima, comenta as alternativas oferecidas “ são atividades complementares, à tarde os alunos vão colocar em prática o que estudaram pela manhã”, ressalta.

Na escola Clementino Coelho, os estudantes se revezam nos laboratórios e nas salas de aula durante o decorrer do dia, sem atividades específicas por turnos. Para o gestor, Jailson Paulino, o elevado número de alunos da instituição (cerca de 800) deve-se a filosofia da escola para educar os estudantes, “ são quatro pilares: saber ser, saber conhecer, saber fazer, saber conviver “, pontua o gestor da escola que instrui os estudantes a seguirem os pilares da instituição, que tornou-se integral a partir de 2009.

Desde preparar o estudante para o mercado de trabalho até a ideia de o filho estar em segurança na escola, são fatores que compõe a aprovação dos brasileiros pelo ensino integral nas escolas. Adaptação, motivação e força de vontade são os principais ingredientes para compor um resultado satisfatório para a escola, os pais e consequentemente, os estudantes.


Por: Marina Caldeira

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Curso de “Doulas Comunitárias” é oferecido em Juazeiro

Em um dos momentos mais importantes na vida da mulher, o parto constitui o período de muitas expectativas, ansiedades, preocupação, euforia e felicidade. Para isso, as futuras mamães recebem apoio de familiares e amigos. Mas, o que deve ser feito se a paciente estiver sozinha? Quem fará companhia em uma das fases mais duvidosas: Parto normal ou Cesária? Amamentar ou não? Este acompanhamento pode ser feito por voluntárias conhecidas como “Doulas Comunitárias”, que auxiliam no ante e pós-processo do parto.

Na cidade de Juazeiro, está sendo oferecido o curso de Doulas para um grupo de 15 voluntárias – selecionadas por currículo e afinidades com a área a ser desenvolvida – a fim de contribuir com o público feminino local. O evento conta com um grupo de instrutoras vindas de Belo Horizonte, Minas Gerais, como: a psicóloga Júlia Cristina Amaral Horta, a enfermeira obstetra Carla Danielle Guanabens e a doula comunitária Maria Mazerelo de Freitas. 

De acordo com a coordenadora do curso, Luciana Florintino, a proposta das atividades de doulas no Hospital Sofia Feldam (HSF)iniciou desde a implantação da unidade de Maternidade do município; devido ao processo ser inicial, o grupo é pequeno, mas pretende-se se expandir mais à frente. “A doula ajuda num atendimento mais individualizado, próximo da mulher no momento do parto. O processo de humanização no parto já acontece há três anos; esta é uma forma da mulher ter autonomia, segurança e conforto durante o esse processo, além de menos uso das mecanizações para um parto normal”, afirmou a coordenadora.

O encontro de hoje aconteceu das 08h às 19h30, no Centro de Saúde III de Juazeiro, com uma programação variada no intuito de debater os processos que, tanto a gestante como a “doula” terá contato daqui em diante. Temáticas como gestação, sensibilização corporal e noções de biossegurança foram pautas discutidas, para que possa agregar a atividade das voluntárias a esta profissão na Maternidade de Juazeiro.

                             [F] Divulgação/ ASCOM                                                                                        
Para a aluna voluntária, Ana Paula Farias da Silva, o curso é bastante enriquecedor. Para ela, ser doula é contribuir com o próximo de forma mais humana e agradável para quem está para ter um bebê. “Até então eu não sabia o que era doula, Foi pesquisar e achei muito interessante, pois é uma pessoa que ajuda a outra em um momento tenso, difícil, que é pra dar a luz! Comecei a fazer técnica de enfermagem e parei, mas depois desse curso eu pretendo continuar para poder ajudar outras pessoas, porque é disso que eu gosto”, concluiu animada.

O curso, que iniciou nesta terça-feira (24), encerra amanhã na Maternidade Municipal, das 8h às 12h. Esta é ação da Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com a Secretaria de Saúde da Bahia (SESAB), Ministério da Saúde e o Hospital Sofia Feldam (HSF).

Por: Amanda Santos

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Educação alimentar - uma nova maneira de conquistar benefícios para saúde

A educação alimentar é uma forma de aconselhar as pessoas a terem uma vida mais saudável, através de readequação de hábitos alimentares. Para isso, é necessário que o corpo possa absorver uma boa quantidade de carboidratos, proteínas, vitaminas, sais minerais e bastante água. Essa mudança de hábito pode proporcionar grandes benefícios para nossa saúde, como: disposição para realizar exercícios, manter a pele hidratada, equilíbrio de peso, menor chance de adoecer entre outros.

Mas, ainda assim as pessoas se negam a mudar sua rotina alimentar para consumir produtos enlatados, frituras, alimentos com presença de corantes, açúcares, e são eles os principias atores de reclamações dos profissionais nutricionistas e médicos em geral.

Nesses casos onde somos diariamente bombardeados com receitas artificialmente saborosas, devemos (re)tomar as atenções, principalmente, com alimentos que podem causar doenças crônicas, como: diabetes e colesterol. Embora, muitos desses males sejam gerados por questões genéticas, é sempre bom estar atento a esses cuidados alimentares para manter uma boa qualidade de vida, priorizando nossa saúde.


A nutricionista Xênusa Nunes, explica que uma das principais dificuldades dessa mudança alimentar está agregada a falta de informação, renda familiar, tabus, disponibilidade de determinados alimentos na região e a cultura local. “Não existe uma faixa etária especifica para essa transformação alimentar. Criança a partir de 06 meses já pode introduzir novos alimentos em sua cadeia nutricional”. Complementa a nutricionista.

Por: Adriane Lima

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Servidores decretam paralização no CETEP-SF



Centro Territorial de Educação Profissional do Sertão do São Francisco (CETEP), em Juazeiro- BA, está em paralisação desde a última segunda- feira (16). A decisão foi tomada após assembleia com todos os estudantes, professores e demais servidores. A interrupção das aulas é decorrente da falta de pagamento dos funcionários do setor administrativo, serviços gerais e as merendeiras. 

Adoniram Magno Martins, diretor geral do CETEP, diz que os funcionários são de empresas terceirizadas, Delta e Assemp. Os serviços do setor administrativo são contratados pela empresa Delta, merendeiras e servidores da limpeza pela Assemp. Além dos salários atrasados, eles não estão recebendo auxilio transporte, alimentação e não recolhimento do FGTS relata Magno, que considera essas atitudes como desmando trabalhista.

De acordo com o diretor, o setor administrativo do CETEP está funcionando com sete funcionários a menos, desde o ano 2012, o que tem sobrecarregado os demais funcionários, além de atrasar a entrega de histórico, diplomas entre outros documentos solicitados pelos estudantes e egressos da instituição de ensino. O CETEP tem aproximadamente 900 educandos, porém eles não serão prejudicados com a paralisação, segundo o gestor, o Centro de Educação tem saldo positivo na carga horário escolar, devido ter oferecido aulas aos sábados a mais do que o necessário no primeiro semestre letivo.

Nessa sexta-feira (20), os representantes da empresa Delta, Governo e o Ministério Público estão reunidos em Salvador para dialogar em relação à paralisação e Assemp terá o encontro na próxima semana, informa Magno. “Não há representante da empresa Assemp na cidade e do Delta existem dois na Direc, mas existe uma dificuldade de entrar em contato com essas empresas”, afirma Magno.

Com cinco dias sem aulas o CETEP não tem data prevista para o retorno das atividades escolares.
  

Por: Gisele Ramos

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Projeto Social movimenta escolas públicas em Juazeiro


Estudantes atentos aos trinta minutos de apresentação








Histórias que levam as crianças a conhecer os centros históricos, museus, lendas e personalidades do Vale do São Francisco, essa é a proposta do projeto social Conta Uma História Pra Mim. O projeto é uma ação social do filme Nego D’água. Desde fevereiro, deste ano, cerca de 30 instituições foram visitadas e aproximadamente 20 ainda vão ser contempladas com as histórias. 

O espetáculo cênico envolve 20 pessoas, entre atores e produtores. O idealizador do projeto e roteirista do filme, Flávio Henrique Fonseca, comenta o quanto é prazeroso realizar essa atividade: “Através desse projeto a gente semeia o gosto e o prazer pelas artes e por conhecer as histórias da cidade.” Durante as apresentações as crianças ficam estáticas, mantendo a atenção para o que está sendo encenado. 

A ação atende somente as escolas das redes estaduais e municipais de Juazeiro na Bahia. Uma das instituições já visitadas foi a Fundação Lar Feliz, localizada no bairro Malhada da Areia. A diretora, Maria da Ressurreição Barbosa, afirma que as crianças ficam envolvidas por um misto de sentimentos e aproveitam ao máximo os momentos como esses. 

Flávio Fonseca, diz sair de cada encontro nas escolas renovado, a alegria no qual é envolvido, o faz a cada semana proporcionar essa felicidade para outras crianças. Até o final do ano outras escolas da rede pública também serão visitadas.

Por: Ana Carla Nunes

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Jovens debatem Mercado de trabalho durante Encontro Vocacional

“Infelizmente é um problema sério que a gente tem hoje. As vagas nas universidades públicas tão disputadas. O aluno passa com tanta dificuldade e na metade do curso vai e desiste.”  Disse o Psicólogo, Tonivaldo Barbosa.


Durante o Encontro Vocacional que aconteceu no último sábado (14), na Universidade do Estado da Bahia (UNEB), estiveram presentes cerca de 100 alunos do pré-vestibular Universidade para Todos, além de monitores e coordenadores do programa.

O evento teve como objetivo, debater as profissões e suas áreas de abrangência, para ajudar na decisão dos jovens. Além de orienta-los a fazer um planejamento prévio, evitando assim a desistência destes jovens dos cursos de forma prematura.

A aluna Rosicleide Passos, disse que, “para quem tem dificuldade para saber o que quer, o momento foi bastante importante”.

O palestrante do encontro, Tonivaldo Barbosa, ressaltou alguns dos possíveis problemas enfrentados pelos jovens ao ingressar na Universidade. Entre os mais frequentes estão: dificuldades financeira; problemas psicológicos e de saúde; e a distância dos familiares. E reforçou a ideia de planejamento por parte dos estudantes: “Infelizmente é um problema sério que a gente tem hoje. As vagas nas universidades públicas tão disputadas. O aluno passa com tanta dificuldade e na metade do curso vai e desiste. Então, a intenção da gente é tentar filtrar um pouco isso, fazendo com que eles parem e pensem um pouco antes de adentrar inclusive na universidade.”

Após a palestra, os jovens ainda participaram de feira das profissões, onde tiveram a oportunidade de discutir de maneira mais ampla sobre áreas específicas, através de grupos montados por afinidade nessas áreas.

Por: Cátia Lopes

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Educação Inclusiva é tema de debate em Petrolina

Nesta segunda-feira (16), o Campus Petrolina Zona Rural do IF Sertão, em parceria com o Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Específicas (Napne), irá sediar a 1º Semana de Educação Inclusiva. Apresentações, palestras, oficinas, exposições, mostras culturais e mesas-redondas fazem parte da programação que acontece até o dia 20 de setembro.

Gestão de projetos inclusivos, filmes com temáticas inclusivas e oficina de libras serão alguns contextos analisados durante a semana.  Para a coordenadora do Napne, Gidalva Santos, o dia mais esperado é a quarta-feira, “ 11 municípios vão se reunir para demonstrar seus projetos sobre inclusão de pessoas com necessidades específicas, acredito que esse dia vai ser muito relevante para o evento”, avaliou.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo telefone (87) 2101-8050. Os interessados podem obter informações sobre horários, palestrantes e temas das atividades, através do site do IFSERTÃO.

Por: Ana Marina Caldeira

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Quem educa transmite, quem aprende repassa!

Parece-me que a discussão sobre Educação Contextualizada não está centralizada apenas nos pólos institucionais, como órgãos municipais e universidades. Ao que tudo indicava, eu só ouvia essa temática dentro de casa, pois no período em que minha mãe ainda estava na faculdade de Pedagogia, falava-se sobre isso durantes às aulas e ela tentava levar para o colégio onde fazia o estágio.

- Você vai ver, Amanda! Os meninos vão aprender mais e de modo criativo. Você sabe que já te ajudava em casa ensinando e brincando, agora eu vou tentar colocar isso dentro do colégio com um perfil para adolescente. - comentou minha mãe enquanto criava os planos de aula.

Não é à toa que minha casa virou "point" de visita das alunas de minha mãe. Não é à toa que eu sempre a admirei pela criatividade; nunca vi uma professora de banca misturar coisas do cotidiano com textos das atividades escolares. Parecia que tudo ficava mais simples, e víamos isso nas notas!

- Ôh minha neta, uns moços da sua idade estão querendo ensinar um velho como eu a cuidar da terra. Veja só! E num' é que estou aprendendo uns truques! - com um tom feliz, disse meu avô em uma conversa ao telefone.

Pois bem. Educação contextualizada não está somente para o âmbito escolar, mas é uma discussão levada ao campo, por exemplo. Em um artigo da UNICEF, diz que a educação contextualizada  "tem como base pedagógica a adaptação de conteúdos escolares à realidade do Semi-árido e a valorização da agricultura e do campo" (p. 04). A maior referência que a cidade de Juazeiro apresenta nesse campo é o Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (IRPAA) que resgata a valorização da região semiárido e luta pela quebra dos esteriótipos de terra rachada, sem água, sem vida existente no sertão.


É curioso como uma informação liga a outra e essas ligações foram bem apresentadas nos últimos dias, entre 11 e 13 de setembro na Universidade do Estado da Bahia, nos debates do III Workshop Nacional em Educação Contextualizada e II Colóquio de Pós-Graduação do Vale do São Francisco. Se quiser saber mais sobre esse encontro acesse: NEPEC-SAB e também está disponível uma matéria sobre o evento na WEBTV.


Por: Amanda Santos

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Juazeiro sedia a oitava FECON

A escola religiosa Adventista do Sétimo Dia, situada no centro da cidade de Juazeiro na Bahia, promove nos próximos dias a 8ª Feira de Conhecimento (FECON). A feira que acontece de dois em dois anos, tem como tema esse ano “Educação Adventista no mundo ao seu alcance”. A abertura do evento acontece dia 23 de setembro a partir das 19hs30 no auditório da Universidade do vale do São Francisco (UNIVASF). No dia 24 as amostrar das pesquisas acontecerão no pátio da própria escola das 08hs às 15hs.

Durante os dias do evento os estudantes serão divididos por grupos de 25 a 30 pessoas para discutir sobre as novidades e diferenças da rede de Colégios Adventistas que somam 180 países. O objetivo dessa atividade é fazer com que os alunos pesquisem e descubram diversos valores, e diferentes formas de tratamento, mostrando a realidade do ensino Adventista por todo o mundo. Como a rede de ensino engloba muitos países, foram colocados subtemas. Nessa subdivisão, cada grupo fica responsável por dois ou três países de cada continente.

Para a diretora da escola Claudia Vieira, “O evento é um momento que os estudantes têm como se apresentar, não só para os outros colegas, mas também para os pais e convidados. Eles se envolvem nesse trabalho que é pra nota, e ao se envolver, eles nos surpreende, a gente fica em dúvida de quem será premiado”.  Serão convidados três jurados para avaliarem os trabalhos dos alunos. Os classificados ganharão medalhas e um prêmio surpresa pré-estabelecido pela Escola.

A feira contará com a participação da Secretaria Municipal de Saúde, desenvolvendo trabalhos de promoção e prevenção á saúde.  Realizando atualização de cartão de vacinas e triagem clinica, verificando a pressão arterial e taxa de glicose dos participantes do evento.


Por:Adriane Lima

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Mestrado em Educação, Cultura e territórios semiáridos será apresentado a Comunidade Juazeirense

Nesta quarta-feira a Universidade do Estado da Bahia realizará o lançamento do Programa de Pós-Graduação Multidisciplinar - Mestrado em Educação Cultura e Territórios Semiáridos - PPGESA. A apresentação do mestrado, será ás 19h e  faz parte da programação do II Colóquio de Pós-Graduação do Vale do São Francisco: Territórios e Interculturalidade na Perspectiva da Educação Contextualizada. O evento que acontece no período 11 até 13 de setembro, na Uneb, nos Campus de Juazeiro, Bahia.

Durante o encontro os interessados em ingressar no mestrado, vão conhecer as linhas de pesquisas do curso. Um das linhas de pesquisa é a temática da Educação Contextualizada para a Convivência com o Semiárido. A Educação Contextualizada é fundamentada na desconstrução do currículo educacional universalista, que desconsidera as particularidades de cada região e dos professores e estudantes.

A debate da Convivência com Semiárido tem como proposta respeitar as características da região, potencializando suas riquezas, além de considerar as especificidades culturais, econômicas, sociais, ambientais e educacionais do Semiárido. O debate da Educação Contextualizada para a Convivência com o Semiárido, dentro da universidade, fortalece a construção de um olhar crítico e transformador do contexto ao qual região Semiárida está inserida.

Para geógrafa Luzineide Dourado Carvalho, e coordenadora do projeto Núcleo de pesquisa e extensão de educação contextualizada para convivência com o semiárido (NEPEC), a conquista do mestrado é resultado de todo um trabalho de anos da universidade e de outros atores, que lutaram pela educação contextualizada. Ela acredita que a importância desse mestrado é formar profissionais com um currículo, atendo as particularidades da região. Além de conscientizar que “o semiárido não é só rural, mas também urbano”, enfatizou Luzineide.

As inscrições do mestrado serão realizadas no período de 16 de setembro de 2013 a 04 de outubro de 2013. A primeira turma do curso vai ingressar na Universidade em 2014, após passar pelas cinco etapas do processo seletivo, conforme consta no edital do PPGESA.

Por: Gisele Ramos

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Universidade abre inscrições para processo seletivo 2014

A Universidade do Estado da Bahia, UNEB, encerra dia 15, domingo, o prazo para as inscrições dos interessados em garantir a isenção da taxa de pagamento do vestibular 2014. Este ano, o processo seletivo vai disponibilizar mais de 4 mil vagas para os 29 departamentos da instituição espalhados pela Bahia, sendo 228 vagas disponíveis para o Campus III, em Juazeiro.  

As inscrições seguem até o dia 13 de outubro. Para confirmação, os candidatos devem realizar o pagamento no valor de R$ 98,00. A universidade oferece mais de 100 cursos de graduação, na cidade de Juazeiro os candidatos podem escolher entre Direito, Engenharia Agronômica, Pedagogia e Comunicação Social – Habilitação em Multimeios. A data da aplicação das provas está prevista para os dias 24 e 25 de novembro.

O estudante Jerfferson Cardoso, está concluindo o terceiro ano e diz já ter se cadastrado pelo sistema de isenção: “Não quis deixar para o última dia, tive medo do site ficar lento. Quis garantir minha inscrição, estou me sentindo muito preparado para a prova.”


Aqueles que tiverem alguma dúvida sobre o processo de inscrição podem visitar o site da universidade e ver mais informações através do edital. A UNEB foi pioneira na implantação de cotas, destinando 40% das vagas para negros egressos de colégios públicos e 5% para índios.

Por: Ana Carla Nunes

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Um novo jeito de "Ser tão Educação"

Com o objetivo de ampliar a abordagem sobre educação, dando evidência a assuntos não apresentados na grande mídia, o blog “Ser tão Educação” constitui-se por percorrer as diversas temáticas dessa editoria no Vale do São Francisco – com enfoque nas cidades de Juazeiro-BA e Petrolina-PE – além de notícias do âmbito nacional que venham a intervir nessa localidade.

A educação também se faz presente além dos muros institucionais e tendo em vista a região semiárida oferecemos esse espaço para abordar temas que venham a contribuir com o desenvolvimento, pesquisa e interesses informativos para as pessoas.

Com a equipe formada por seis estudantes de Comunicação Social – Jornalismo em Multimeios, pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB), nos dedicaremos a fazer um webjornalismo com credibilidade, eficiência e responsabilidade para com os fatores noticiosos e o público-leitor.

Por: Amanda Santos